skip to Main Content
Menu

Nascida no Rio de Janeiro, Myrian é filha da violinista brasileira Mariuccia Iacovino e do empreendedor do setor de construção, o italiano Bruno Lucci. Herdou, da mãe, a paixão pela música e, do pai, o espírito empreendedor. O pai morreu jovem, quando Myrian tinha três anos, e a mãe se casou com o pianista Arnaldo Estrella. O casal se mudou para Paris e viveu intensamente a vida cultural da cidade, criando fortes laços de amizades com expoentes do cenário artístico e intelectual, como o escritor e filósofo Jean-Paul Sartre e outros artistas que viviam em Paris, num pós-guerra fértil em repensamentos sobre a função da arte e da cultura. A convivência intelectual foi marcada também com artistas brasileiros como Heitor Villa-Lobos, Graciliano Ramos, Jorge Amado, Carlos Scliar, Manuel Bandeira, Cecília Meireles, entre tantos outros.

A herança cultural familiar foi construída nesse ambiente de convivência com amigos, artistas e intelectuais. Para Myrian, sua inspiração está na memória desta vivência. Para a empresária, são os efeitos desta memória que permitiram a construção do alicerce desse patrimônio. Esta herança cultural e artística favoreceu o estabelecimento de parâmetros de qualidade que, adicionados aos novos aprendizados, à criatividade e a muita dedicação, construíram a marca Dell’Arte.

Educada na França, sua formação musical, com especialização em piano e doutorado em musicologia, foi realizada no Conservatório de Paris, onde conheceu Peter Dauelsberg, violoncelista alemão, com quem se casou. Com outros músicos, ambos se apresentaram por muitos anos nos palcos da Europa.

Quando resolveram residir no Brasil, Myrian e Peter foram dar aulas. Ela, piano na Escola de Música do Estado do Rio de Janeiro; ele, no Instituto de Artes da UNESP – Universidade Estadual de São Paulo. Lecionar piano foi a atividade que despertou-a para outra vocação: descobrir talentos para a formação de grandes intérpretes. Seus alunos estão entre os principais vencedores dos importantes concursos nacionais e internacionais de piano. Muitos brilham nos principais palcos do mundo.

Outra experiência que marcou sua trajetória foi a vivência como diretora artística da Sala Cecília Meireles, entre 1974 e 1979. Foram cinco anos de intenso trabalho ao lado do pianista Jacques Klein, que respondia pela direção da sala nesta época. Myrian viabilizou inúmeros espetáculos de grandes artistas mundiais e, assim, descobriu seu talento para curadoria e gestão cultural. Isto conscientizou-a para uma nova questão: a formação de plateias com referências de qualidade musical.

Ao promover as inúmeras apresentações no circuito cultural da cidade, pôde ampliar o trabalho de incentivar os novos talentos musicais que, até então, eram restritos aos seus alunos. Ao mesmo tempo percebeu que, realizando apresentações de qualidade, gerava oportunidades para que as plateias pudessem apreciar as boas interpretações musicais. Bons espetáculos formam boas plateias.

Ao deixar a Sala Cecília Meireles, assumiu a chefia de gabinete do então Ministro Eduardo Portela, do Ministério da Cultura, Esporte e Lazer, no governo do Presidente João Figueiredo. A experiência no poder público foi oportuna para o desenvolvimento de sua capacidade de gestão e articulação que, se antes era focada no cenário musical, com o governo pôde ser ampliada para as relações institucionais do país. Mais do que isso, Myrian pôde vivenciar e entender profundamente as dificuldades da área de educação que tanto fragilizam o desenvolvimento cultural no Brasil. Dentre as inúmeras realizações no Ministério, destaca-se o incentivo ao desenvolvimento de políticas de financiamento à cultura, que viria a se consolidar anos mais tarde, como a Lei Rouanet.

A carreira empresarial teve início em 1982 com a fundação da Dell’Arte, uma genuína experiência de empreendedorismo econômico, cultural e social. Ao longo de três décadas esteve à frente de grandes espetáculos e complexos desafios, que possibilitaram firmar o Rio de Janeiro como polo irradiador de arte e entretenimento. Tudo isso, com a consciência e firme propósito de que os parâmetros de qualidade impressos em seu trabalho são o seu maior capital.

Em 2014, Myrian coroa sua trajetória profissional com a criação do Instituto Dell’Arte, compartilhando generosamente com as novas e futuras gerações as experiências, memórias, desafios e conquistas de uma vida dedicada às artes e à cultura. Com a missão de gerar valores para o campo institucional da cultura, assume a liderança do instituo com o forte compromisso de cooperar e promover transformações positivas para o desenvolvimento do país.

Back To Top